Tesla reduz preços nos EUA, China e Alemanha à medida que vendas caem e concorrência cresce

Voguel
Voguel 5 Leitura mínima

A Tesla anunciou cortes agressivos de preços na China e na Alemanha, logo após reduzir os preços nos Estados Unidos, enquanto o maior fabricante mundial de veículoselétricos (EV, na sigla em inglês) enfrenta o declínio das vendas e a concorrência crescente nos principais mercados.

No domingo (21), a fabricante reduziu os preços iniciais de quatro modelos vendidos na China continental, seu maior mercado externo, em 14.000 yuans (US$ 1.932). O Modelo Y, o carro mais vendido da empresa no país, agora começa com o preço mais baixo de todos os tempos, 249.900 yuans (US$ 34.502).

Na Alemanha, o maior mercado da Tesla na Europa, o preço do seu Modelo 3 com tração traseira também foi reduzido em 2.000 euros (2.132 dólares), para 40.990 euros (43.707 dólares), de acordo com seu site oficial.

Os primeiros cortes foram anunciados na sexta-feira (19) nos EUA, quando a Tesla reduziu os preços de três dos seus cinco modelos. Os preços do Modelo Y, Modelo X e Modelo S foram reduzidos em US$ 2.000 cada, enquanto os do Modelo 3 e do Cybertruck permaneceram inalterados.

A enxurrada de cortes ocorre em um momento difícil para a Tesla. As suas ações caíram mais de 40% no acumulado do ano, depois de ter reportado uma queda nas entregas trimestrais pela primeira vez em quase quatro anos e ter anunciado cortes de empregos equivalentes a mais de 10% do seu pessoal global.

No sábado, o CEO da Tesla, Elon Musk, disse que adiou sua  viagem planejada à Índia, citando obrigações “muito pesadas” na empresa. Ele deveria chegar ao país esta semana para uma visita que deveria incluir um encontro com o primeiro-ministro Narendra Modi e a confirmação de que a Tesla construirá uma fábrica no país mais populoso do mundo.

Na China, o maior mercado de veículos elétricos do mundo, espera-se que os cortes de preços da Tesla exacerbem uma guerra de preços existente num setor altamente competitivo.

Na segunda-feira, a fabricante chinesa de veículos elétricos Li Auto, liderada pelo empresário bilionário Li Xiang, respondeu anunciando que estava reduzindo os preços de todos os seus quatro modelos com efeito imediato. Seu Li Mega, que afirma ser o maior veículo elétrico de passageiros do mundo, agora é vendido por 30.000 yuans (US$ 4.142) mais barato.

A empresa americana já enfrentava forte concorrência lá.

A Tesla foi brevemente destronada pela chinesa BYD como a marca de veículos elétricos mais vendida do mundo no quarto trimestre do ano passado. Comparados com Tesla, os carros da BYD são mais acessíveis.

Seu modelo básico é vendido na China pelo equivalente a pouco menos de US$ 10 mil. Em contraste, o Modelo 3 da Tesla, seu modelo mais barato, custa atualmente três vezes mais, com 231.900 yuans (32.017 dólares) na China, após o corte de preços de domingo.

A guerra de preços de EV na China começou em outubro de 2022, quando a Tesla cortou os preços para aumentar as vendas enquanto os consumidores reduziam os gastos numa economia em desaceleração.

Quase todos os grandes fabricantes, incluindo os fabricantes de veículos a gasolina, seguiram o exemplo, impactando as margens de lucro de toda a indústria automobilística.

A concorrência continua inabalável em 2024, com mais de 30 grandes fabricantes de automóveis anunciando novas reduções de preços.

Na sexta-feira, a XPeng, fabricante de veículos elétricos com sede em Guangzhou, disse que ofereceria 500 milhões de yuans (US$ 69 milhões) em subsídios aos compradores que adquirissem quatro de seus modelos.

Em março, a BYD reduziu o preço inicial de seu EV mais acessível, o hatchback Seagull, em 5%, para 69.800 yuans (US$ 9.670). Mais tarde naquele mês, a Xiaomi, fabricante de smartphones, juntou-se à corrida dos EV ao lançar seu sedã SU7 para enfrentar a Tesla.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.