Prefeitura aciona Aneel contra Enel por quedas de energia em SP; mil clientes ainda estão sem luz

Voguel
Voguel 3 Leitura mínima

A Prefeitura de São Paulo informou que irá representar novamente contra a Enel, concessionária de energia elétrica que atua na capital paulista. A representação deve ocorrer junto ao governo federal, através da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e do Tribunal de Contas da União (TCU).

Até a noite desta quarta-feira (20), cerca de 60 horas desde o apagão que afetou o centro de São Paulo, mil clientes seguem sem luz nos bairros de Higienópolis, Santa Cecilia, Consolação, Campos Elísios, Vila Buarque e Cerqueira Cesar.

Em nota, a concessionária afirma que não vai se manifestar sobre o acionamento da prefeitura e os 3% de fornecimento de energia elétrica ainda não estabelecido serão abastecidos ainda nesta noite por meio de geradores.

A administração municipal já havia ingressado recentemente com duas ações judiciais contra a empresa nesses dois órgãos e informa que está “indignada com o desrespeito da Enel com a população de São Paulo”.

Em nota a Prefeitura afirma que, em nome da população, “continuará de forma enfática cobrando dos órgãos responsáveis para a empresa ser punida”. A administração municipal ressalta que, apesar de a empresa não ter nenhum vínculo contratual com o órgão, já que cabe ao governo federal a concessão, regulação e fiscalização da empresa, através da ANEEL.

A Enel ainda informa que, pela manhã normalizou fornecimento para todos os clientes que tiveram o serviço afetado na última segunda-feira (18) e durante o trabalho, as equipes identificaram um indicativo de nova falha e optaram por desligar preventivamente às 12h40 um dos circuitos para realizar nova intervenção. “Também, preventivamente, a companhia mobilizou geradores adicionais, além dos que já estavam disponíveis na região”, afirma a nota.

O Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM-SP) anunciou nesta quarta-feira (20) a criação de um grupo de estudo para analisar questões contratuais da concessionária de energia elétrica que atua na capital paulista, a Enel.

A ideia é contabilizar os prejuízos gerados pela interrupção no fornecimento de luz e atendimento ao consumidor no centro da capital paulista.

Durante a sessão plenária desta quarta-feira (20), o conselheiro-presidente do tribunal, Eduardo Tuma, explicou que “embora seja um assunto tratado pela ANEEL, há um contrato com a cidade de São Paulo e o TCM-SP deve atuar neste sentido”.

A Secretaria de Controle Externo designará auditores para participarem do grupo e assessores dos gabinetes para conduzir o estudo.

*Com informações de Adriana de Luca

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.