Petz e Cobasi querem ser nova Raia Drogasil; aprovação do Cade levará até um ano | Empresas

Voguel
Voguel 3 Leitura mínima

Petz e Cobasi querem fazer uma fusão “no modelo Raia e Drogasil” (RD), um dos casos de sucesso de união de ativos entre empresas brasileiras, e seguindo também a possibilidade de as duas redes para “pets” manterem os seus nomes, como a RD.

Zimerman, questionado pelos analistas sobre detalhes da união, disse que as negociações só “tomaram corpo” nos últimos quinze dias e que ainda serão feitas as diligências nos negócios. A fase atual ainda é de assinatura de memorando, o que ocorreu na manhã desta sexta-feira (19), e não há informações fechadas, em relação, por exemplo, à sobreposição de lojas.

O empresário afirmou que não vê um “remédio amargo” do Cade, o órgão antitruste brasileiro, “porque há cidades onde não tem Cobasi e outras não tem Petz”. Ele não mencionou a sopreposição em cidades como São Paulo, em que há volume maior de lojas próximas, em pontos de alto fluxo.

Segundo cálculos do JP Morgan, 22% das lojas da Petz estão a um raio de um quilômetro da Cobasi.

Segundo comunicado enviado hoje a funcionários da Petz, a empresa diz que há trâmites a serem respeitados, mas o Cade tem um prazo estimado entre 8 e 12 meses, ou seja, no primeiro ou segundo trimestre de 2025, para a aprovação.

Sergio Zimerman, CEO da Petz. — Foto: Ana Paula Paiva/Valor

O executivo entende que o nível de concentração é baixo o suficiente para afirmar que não vê risco de uma exigência maior do Cade.

Conforme as informações divulgadas nesta sexta-feira pela empresa, caso a operação avance, a varejista combinada terá uma rede de 483 lojas, faturamento bruto anual de cerca de R$ 6,9 bilhões e um lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda ajustado) de R$ 464 milhões, considerando o ano de 2023.

O anúncio da transação ocorre semanas após Zimerman aumentar, de forma considerável, a sua posição na Petz. Nesta sexta, o papel chegou a subir 47% logo após sair de leilão e subia 37% no fim da manhã.

O empresário tem 49% das ações da empresa, considerando nessa conta operação de derivativos. Ao se considerar apenas as ações, sua posição é de quase 30% na rede, comparada a 26% em fevereiro.

Sobre as compras de papeis, interlocutores próximos ao executivo diziam que ele vinha comprando papéis por causa da queda no preço, para sinalizar “confiança” no ativo.

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.