Paes quebra silêncio e diz que errou ao indicar Chiquinho Brazão como secretário | Política

Voguel
Voguel 3 Leitura mínima

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou ter sido um erro ter o deputado federal Chiquinho Brazão (Sem partido-RJ) como secretário em sua gestão. O parlamentar foi preso pela Polícia Federal (PF) no dia 24 deste mês, suspeito de ser um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ).

  • Se você gostou desse post, não esqueça de compartilhar:
  • Clamor popular e votação aberta na Câmara devem determinar manutenção de prisão de mandante de assassinato de Marielle

Chiquinho foi secretário de Ação Comunitária de Paes durante quatro meses. Ele foi nomeado ao cargo em outubro do ano passado e exonerado em fevereiro, após saírem as primeiras notícias de que seu irmão estava envolvido no crime.

“Foi um erro da minha parte colocar alguma pessoa que tinha suspeitas. Eu posso aqui ter todas as desculpas do mundo. São seis anos [desde o assassinato], todo mundo já tinha sido acusado e tudo mais. Errei”, disse Paes.

Essa é a primeira vez que o prefeito fala sobre o caso. Até então, Paes estava evitando comentar publicamente sobre a prisão do ex-aliado.

Indicação do Republicanos

No domingo (24), dia das prisões, a prefeitura divulgou uma nota afirmando que Chiquinho tinha sido uma indicação do Republicanos, partido aliado de Paes. Em seguida, o Executivo passou a fazer uma série de exonerações de nomeados do deputado federal que continuavam na secretaria.

“A gente, nesse momento, entende que os Republicanos, com os quadros que dispõem aqui [na prefeitura], não eram adequados. Nós queremos alianças, mas as alianças têm que ter um limite. Quando eu digo que eu errei, eu acho que eu fiz uma avaliação equivocada”, disse o prefeito, que ressaltou ter exonerado Chiquinho assim que surgiram as primeiras notícias de que a família Brazão estava envolvida na morte de Marielle.

Mesmo com o silêncio que Paes mantinha até então, a conduta do prefeito desagradou o Republicanos. O presidente nacional do partido, Marcos Pereira, se reuniu esta semana com o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) para negociar um eventual apoio ao postulante bolsonarista à prefeitura do Rio, o deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ).

“Foi um erro da minha parte colocar alguma pessoa que tinha suspeitas”, disse Eduardo Paes, prefeito do Rio, sobre a nomeação de Chiquinho Brazão como secretário municipal de Ação Comunitária — Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.