Meta ‘lê seu pensamento’ e ajuda o golpista de anúncios a te encontrar

Voguel
Voguel 2 Leitura mínima


A Meta, dona do Instagram e Facebook, usa dados pessoais de usuários para entregar fraudes “sob medida” e lucrar alto com isso.

Informações sobre gênero, idade, localização e atividade em outros sites são processadas pela empresa para traçar o “perfil” de cada usuário e vender o acesso a eles.

Comerciantes podem assim escolher seu público-alvo na hora de espalhar anúncios usando as ferramentas pagas da Meta. E golpistas fazem o mesmo.

Ou seja, a empresa de Mark Zuckerberg facilita fraudes. Pior: ela não se responsabiliza pelos danos causados a vítimas, uma postura criticada por especialistas.

Há muito dinheiro em jogo.

Levantamento feito pelo UOL na única categoria de anúncios abertos da Meta revelou que, de outubro de 2023 a janeiro de 2024, ela embolsou ao menos R$ 4,7 milhões com fraudes no país.

Questionada, a companhia disse que não permite golpes em suas plataformas, mas não detalhou que procedimentos implementa para evitar isso (leia a nota completa ao fim do texto).

Imagem: Carol Malavolta/UOL

Nas mãos do algoritmo

Em setembro de 2023, três meses antes do caso da panela, Pâmela Gomes já havia caído em outro golpe patrocinado no Instagram.

O anúncio simulava a venda de um tênis infantil do Mickey, que ela buscava para o aniversário do filho mais novo.





Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.