Ganhos russos na guerra destacam urgência de Kiev pela ajuda militar dos EUA

Voguel
Voguel 10 Leitura mínima

A avaliação da posição das forças armadas da Ucrânia no combate à Rússia é mais sombria do que em qualquer momento desde os primeiros meses da guerra.

A situação na linha de frente “piorou significativamente”, disse há poucos dias o principal comandante militar, Oleksandr Syrskyi – uma mensagem apoiada por provas de vídeo, analistas e entrevistas realizadas pela CNN com soldados ucranianos.

Enquanto o Congresso dos Estados Unidos se prepara para uma votação crucial no fim de semana, que poderá desbloquear US$ 60 bilhões em ajuda militar à Ucrânia, as tropas da linha de frente se retiram de áreas-chave ou sofrem ataques aéreos enquanto tentam manter o controle de cidades importantes.

Um local-chave é a grande vila de Ocheretyne, situada em uma cordilheira a noroeste de Avdiivka, uma cidade industrial capturada pela Rússia em fevereiro, deste ano. Terrenos mais elevados são normalmente valorizados por serem mais fáceis de defender.

A DeepState, uma organização ucraniana que monitora diariamente a evolução do campo de batalha, avalia uma série de avanços russos nos últimos dias ao longo da linha ferroviária a leste da vila – cerca de 4,5 quilômetros no total. O grupo publicou um vídeo de drone mostrando o que seriam soldados russos em uma trincheira perto da linha férrea – uma confirmação visual do avanço.

Antes da invasão das forças russas no local, voluntários ucranianos têm retirado civis de Ocheretyne e de outras vilas, publicando vídeos nas redes sociais que mostram residentes mais velhos abandonando prédios muito destruídos, junto com os seus animais de estimação e com os pertences embalados em caixas de papelão. À medida que eles saem, várias explosões podem ser ouvidas à distância.

Avanços em Ocheretyne também estão sendo relatados por bloggers militares russos, bem como na vizinha Novokalynove – cerca de 8 quilômetros a leste – ameaçando subjugar uma parte das linhas defensivas da Ucrânia na região oriental de Donetsk.

“A grande fortificação entre Ocheretyno e Novokalynovo poderá em breve estar nas mãos [russas]. Tropas já entraram em Novokalynovo pelo sudeste e continuam avançando”, escreveu um blogueiro militar russo, Boris Rozhin, no Telegram na tarde de quinta-feira (17), usando o nome russo para os dois locais.

Os ganhos russos nos últimos dias são apenas os mais recentes sucessos das forças de Moscou, que romperam as linhas defensivas da Ucrânia mais a sul, em torno das vilas de Tonenke e Orlivka, no final de março.

Mulher caminha em frente a prédio de escola danificado na cidade de Orlivka, na região separatista ucraniana de Donetsk Alexander Ermochenko / REUTERS

Um oficial do Comando Oriental da Ucrânia disse à CNN que a ofensiva russa na área tinha claramente como objetivo avançar em direção à cidade de Pokrovsk, um importante cruzamento rodoviário a cerca de 30 quilômetros a oeste.

O oficial, que pediu para não ser identificado porque não está autorizado a falar oficialmente, disse que se as forças russas conseguissem conquistar e manter Ocheretyne, isso poderia prejudicar rotas logísticas vitais à Ucrânia, ligando três centros militares importantes – Kostiantynivka, Pokrovsk e Velyka Novosilka – sob controle de fogo russo.

Votação do pacote de ajuda dos EUA

Uma escassez aguda de munições de artilharia entre as forças armadas da Ucrânia é a principal razão para as retiradas da linha da frente de Kiev, como disse recentemente o presidente Volodymyr Zelensky a um jornalista dos EUA.

“Nossa proporção de artilharia é de 1 para 10 (a favor da Rússia)”, disse ele, acrescentando que as forças russas estão “nos empurrando para trás todos os dias”.

Os projéteis de artilharia estão entre uma série de diferentes armas e tipos de armamento que a Ucrânia poderia esperar receber dos EUA se o Congresso aprovar novo apoio militar. Sustentado sob várias formas por cerca de seis meses, um novo pacote de ajuda deverá chegar ao plenário da Câmara para votação neste sábado (20).

O presidente da Câmara, Mike Johnson, expressou confiança de que o projeto será aprovado, dizendo à CNN: “Sabemos qual é o calendário, conhecemos a urgência na Ucrânia e vamos defender a liberdade e garantir que (o presidente russo) Vladimir Putin não avance pela Europa”.

Militar ucraniano perto de defesa aérea na região de Kiev / 16/6/2023 REUTERS/Anna Voitenko

O secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, também pediu aos representantes para que aprovassem a legislação, reconhecendo que o campo de batalha estava mudando “a favor da Rússia”.

“Estamos vendo (as forças russas) obterem ganhos consideráveis, estamos vendo os ucranianos serem desafiados – eles estão fazendo um trabalho muito bom, um trabalho credível – mas para continuarem a fazer isso, eles precisam dos materiais certos, das munições certas, das armas para poderem fazer isso”, disse ele ao subcomitê de Dotações de Defesa da Câmara.

Se for aprovado pela Câmara, o projeto de lei ainda necessitará da aprovação do Senado – embora isso seja visto como mais provável depois de uma legislação semelhante sobre ajuda à Ucrânia ter sido aprovada no início do ano.

Cerca de 40 quilômetros a norte de Ocheretyne, em outro terreno mais elevado, a cidade de Chasiv Yar também está na mira da Rússia. Syrskyi, o chefe das Forças Armadas ucranianas, disse acreditar que o Kremlin ordenou a captura até 9 de maio, dia em que a Rússia celebra a vitória sobre a Alemanha nazi em 1945.

Vários relatórios descrevem combates intensos ocorrendo a leste da cidade, abrangendo vilas de Kalynivka, a nordeste, até Ivanivske e Klishchiivka, a sudeste. Algumas das batalhas decorrem em áreas recapturadas pela Ucrânia quando esta partiu para a ofensiva no verão passado.

“A situação em torno da cidade de Chasiv Yar é difícil”, disse Nazar Voloshyn, porta-voz do grupo operacional-estratégico “Khortytsia” das Forças Terrestres ucranianas, à CNN. “O inimigo está atualmente utilizando a superioridade aérea, mísseis e munições de artilharia de grande calibre, tentando alcançar o seu objetivo de chegar às fronteiras da região de Donetsk”, disse ele.

O porta-voz descreveu algumas das táticas terrestres russas, dizendo que as tropas avançariam em direção às posições ucranianas, sondando possíveis pontos fracos, mas depois recuariam sem tentar garantir posições.

Yurii Fedorenko, comandante do batalhão de drones “Aquiles”, parte da 92ª Brigada de Assalto Separada, concordou que as forças russas não obtiveram ganhos territoriais significativos nos últimos dias, mas disse que as tropas nas vilas periféricas de Chasiv Yar estavam envolvidas em combates ferozes.

“A guerra é por cada casa, cada rua, cada cruzamento. Algumas posições estão mudando de mãos”, disse ele à CNN. Se a Rússia conseguir capturar Chasiv Yar, disse ele, isso colocaria cidades como Kostiantynivka e Kramatorsk sob o controle do fogo russo – e representaria uma grande mudança no futuro de Donetsk.

Até que tenha controle da cidade, as táticas da Rússia parecem claras – destruir pelo ar. Vídeos postados em canais pró-ucranianos do Telegram mostram uma série de explosões massivas em Chasiv Yar, causadas por bombas aéreas guiadas, que são lançadas de aeronaves russas às vezes dezenas de quilômetros atrás das linhas de frente.

As bombas, que podem pesar até 1,5 toneladas, sendo cerca de metade constituídas por altos explosivos, têm sido utilizadas pela Rússia em números cada vez maiores desde que foram introduzidas no início de 2023, e se revelaram devastadoras.

“Não será fácil para a Rússia tomar a cidade, mas a sua vantagem condicional é que não terão a tarefa de preservar o local. Eles simplesmente irão demoli-lo com ataques aéreos, após os quais não haverá nada para defender, tal como fizeram com Mariinka e Avdiivka”, disse Voloshyn à CNN.

A vulnerabilidade da Ucrânia face à ameaça das forças destaca outra enorme necessidade de Kiev: mais defesas aéreas. As autoridades salientam que um aumento no número de sistemas Patriot, por exemplo, não só ajudaria a defender cidades como Kharkiv de ataques de mísseis, mas também atenuaria a ameaça de aviões de guerra russos que lançam enormes bombas sobre alvos da linha de frente como Chasiv Yar.

Espera-se que Zelensky pressione os principais aliados para doarem mais sistemas de defesa aérea à Ucrânia quando se dirigir aos ministros da defesa na sexta-feira (19) em uma reunião virtual do Conselho Ucrânia-Otan.

*Com informações de Victoria Butenko.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.