Covid eterna? Paciente testa positivo para a doença por quase dois anos

Voguel
Voguel 2 Leitura mínima

Homem de 72 anos testou positivo para o vírus da Covid durante 613 dias.

Ele foi contaminado pela variante ômicron em 2022 e desenvolveu mais de 50 mutações.

Pesquisadores dizem que esta é a infecção mais longa de Sars-CoV-2 já registrada.

Um paciente de 72 anos, que testou positivo para o vírus da Covid-19 durante aproximadamente 613 dias, morreu em outubro de 2023. O caso foi revelado pela revista americana Time em 18 de abril e será apresentado neste fim de semana, durante um encontro em Barcelona, por pesquisadores do Centro de Medicina Experimental e Molecular da Universidade de Amsterdã.

🩸 O paciente sofria de uma doença do sangue e por isso seu sistema imunológico era capaz de produzir anticorpos suficientes para combater o vírus, apesar das várias doses de reforço da vacina que recebeu antes de ser contaminado.

Com base nas análises das amostras coletadas, os pesquisadores chegaram à conclusão de que o coronavírus desenvolveu resistência ao sotrovimab, um tratamento de anticorpos monoclonais que costuma ser eficaz em casos leves e moderados de Covid. Apesar do medicamento, o vírus teria sofrido mais de 50 mutações, segundo a reportagem publicada na Time.

⌛ Esta é a infecção mais longa de SARS-CoV-2 já registrada desde o início da epidemia, de acordo com os pesquisadores. O recorde até agora era o de uma contaminação de 20 meses. Os especialistas afirmam que o vírus mutante não chegou a contaminar outras pessoas. 

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.