Brasil pede “máxima contenção” no Oriente Médio; Milei apoia Israel “contra o terror”

Voguel
Voguel 4 Leitura mínima

O governo brasileiro, por meio do Ministério das Relações Exteriores, expressou “grave preocupação” com os ataques de drones e mísseis lançados pelo Irã contra Israel no sábado (13) e pediu que cidadãos evitem visitas não essenciais à região.

“Desde o início do conflito em curso na Faixa de Gaza, o Governo brasileiro vem alertando sobre o potencial destrutivo do alastramento das hostilidades à Cisjordânia e para outros países, como Líbano, Síria, Iêmen e, agora, o Irã”, disse o MRE, em nota.

“O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada”.

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

Devido à escalada da crise no Oriente Médio, o Itamaraty orienta que sejam evitadas viagens para Israel, Palestina, Líbano, Síria, Jordânia, Iraque e Irã. Quem já se encontra em algum desses países deve seguir orientações dos sites das embaixadas. O governo diz que “vem monitorando a situação dos brasileiros na região, em particular em Israel, Palestina e Líbano desde outubro passado”.

Vizinhos pedem fim do conflito; para Milei, Israel tem direito de se defender

O presidente de direita da Argentina, Javier Milei, ofereceu o seu apoio “enfático” ao direito de Israel de defender a sua soberania, “em particular contra regimes que promovem o terror e procuram destruir a civilização ocidental”.

No México, o presidente Andrés Manuel López Obrador expressou receio de que o conflito possa se ampliar. “A guerra é irracional, [um] sinônimo de sofrimento e morte; não beneficia ninguém, nem mesmo magnatas e governadores belicistas. Vamos apoiar a paz e a fraternidade universal”, afirmou via X (antigo Twitter).

Se você gostou desse post, não esqueça de compartilhar!

O Ministério das Relações Exteriores do Chile expressou “profunda preocupação” com os ataques e com a “grave escalada de tensões” na região.

Aliada do Irã, a Venezuela atribuiu “o [agravamento] da situação de instabilidade” na região ao “genocídio na Palestina e à irracionalidade do regime israelita, bem como à inação das Nações Unidas”.

Outro crítico das ações de Israel em Gaza, o presidente colombiano Gustavo Petro afirmou, via X, que “as crianças israelenses só dormirão em paz quando as crianças palestinas dormirem em paz”.

Já o líder boliviano Luis Arce disse ter preocupações com uma possível escalada para uma “terceira guerra mundial”. “A guerra é a pior forma de resolver conflitos internacionais… não há vencedores na guerra, todos perdem, e a escalada da violência em todo o mundo coloca a humanidade em risco de desaparecer”, disse em publicação nas redes sociais.

(Com informações de Agência Brasil e The Guardian)

Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.