Aos 28 anos, GenZ é a líder mais jovem da Microsoft

Voguel
Voguel 13 Leitura mínima

Em quatro anos, Stéfany Mazon passou de especialista a líder da plataforma que impulsiona os resultados da Microsoft globalmente

Stéfany Mazon se afasta do estereótipo da Geração Z, da qual pertence. Enquanto estudos mostram que os jovens hoje pingam de empresa em empresa e não buscam construir uma carreira ou assumir cargos de liderança, aos 28 anos, Mazon é a líder mais jovem da Microsoft no Brasil. “Quero ser CEO aos 40 anos”, diz a diretora de vendas de Azure, plataforma de computação em nuvem da big tech, que tem alavancado os resultados da companhia mundialmente.

Esse mercado, avaliado em US$ 483,98 bilhões em 2022, deve atingir US$ 1.554,94 trilhão em 2030, com uma taxa de crescimento composta anual de 14,1%, segundo dados da empresa de pesquisa e consultoria Grand View Research. “Estamos sempre em crescimento porque o mercado de nuvem está em total ascensão”, diz Mazon. A Microsoft não abre números locais, mas, globalmente, a receita de produtos e serviços em nuvem aumentou 22% no quarto trimestre de 2023, impulsionada pelo crescimento de 30% da receita da Azure e de outros serviços.

No Brasil, a plataforma de nuvem tem entre os clientes grandes empresas como Petrobras, B3, PicPay e o escritório de advocacia Machado Meyer, que utilizam IA para interagir com colaboradores, clientes ou facilitar processos. “A nuvem é o data center de uma outra pessoa ou empresa que traz uma segurança, escalabilidade e tecnologia que o seu próprio computador não poderia ter”, explica. Mas além da parte de infraestrutura, a Azure tem um braço de inovação e inteligência artificial que ajuda desenvolvedores a criar e implantar aplicativos.

Mulher em tech

Nesse universo de IA, as mulheres representam 30% dos profissionais, e são 29.2% dos trabalhadores em STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), mostra um relatório do Fórum Econômico Mundial de 2023.

Embora a Microsoft tenha alcançado a equidade de gênero na liderança e Stéfany tenha exemplos de altas executivas, como a CEO no Brasil, Tania Cosentino, e a CFO, Glaucia Rosalen, sua mentora, o início da carreira foi um pouco diferente. “Passei de uma sala só para meninas para uma só de meninos na faculdade”, diz. Mazon é judia ortodoxa e estudou em colégio com turmas divididas.

Leia também:

Destaque nas exatas, foi estudar engenharia eletrônica por incentivo de uma professora de física no ensino médio. “Perguntei para ela como funcionava a lousa eletrônica e ela respondeu que se eu fizesse o curso eu iria entender. Não entendo até hoje, mas foi aí que percebi que queria ir para a tecnologia.”

Com dificuldades financeiras durante a faculdade, no Instituto Mauá de Tecnologia, a única professora do curso a levou para um projeto de iniciação científica, o que ajudou a continuar os estudos. “Muitas mulheres me impulsionaram ao longo da carreira.”

Segredo do sucesso

Com esse projeto, de desenvolvimento de software baseado em IA para tradução de linguagem de libras, garantiu um prêmio da IBM e um emprego como pesquisadora na gigante de TI. “Entrei nesse mundo de acessibilidade quando nem se falava muito sobre, há 10 anos”, diz. Antes de concluir a faculdade, já havia conquistado quatro patentes de pesquisa em IA.

Na IBM, onde ficou por sete anos, foi incentivada por um chefe a fazer a transição para a área comercial, o que acelerou sua carreira. “Ter o background técnico ajuda muito”, diz Mazon. E foi também o que a levou à liderança na Microsoft. “Tem muito valor porque a gente resolve de fato um problema do cliente e não apenas vende uma solução que não terá futuro.”

A visão e a experiência em inteligência artificial no currículo também contaram para ser promovida quatro vezes em quase quatro anos, além da ambição. “O principal é ter vontade e ser muito vocal. Todo mundo tem que correr atrás dos seus objetivos”, diz Mazon, que entrou na Microsoft em 2020, como especialista de vendas em cloud.

Mas mesmo com tudo isso em mente, a executiva recebeu uma visita da síndrome da impostora ao ser promovida ao cargo atual, à frente de uma equipe de sete pessoas formada por profissionais, em sua maioria, mais velhos e experientes. “Às vezes, nós, principalmente mulheres, ficamos muito focadas no gap [no que falta], e eu comecei a olhar para o gain, para as conquistas”, diz ela, citando um livro que leu recentemente, The Gap and The Gain, do Dan Sullivan. “Para ser a líder mais jovem, eu tive que trabalhar muito. Sou boa, mas não sei tudo, estou num processo de aprendizado.”

Hoje, é professora no MBA no Ibmec e faz mentorias com jovens judias sobre recolocação e desenvolvimento de carreira.

Para trabalhar com tecnologia e estar sempre à frente das inovações, a executiva mantém uma rotina de estudos. “Não estou mais no dia a dia com a mão na massa, mas mantenho a mentalidade de continuar estudando”, diz ela, que lê muito, faz cursos, aproveita o trânsito de São Paulo para ouvir audiobooks e podcasts e fica atenta ao setor e a conversas com clientes.

Também mantém uma rotina diária de exercícios físicos para aliviar a pressão do corporativo. Faz algum esporte ou musculação todos os dias, menos aos sábados, quando pratica o Shabat, dia sagrado de descanso semanal no judaísmo. “Nos desconectamos toda sexta-feira ao pôr do sol até sábado também no pôr do sol”, explica. Essa desconexão envolve não utilizar qualquer tipo de tecnologia, inclusive elevadores. “É um momento de refletir e voltar para a semana, que é super corrida, com mais consciência.”

A trajetória de Stéfany Mazon, líder de vendas da Azure, da Microsoft

“Foi quando eu assumi o time de estratégia de Azure no Brasil. Esse momento foi muito importante para mim porque de fato eu entendi a imensidão e as possibilidades que a gente tem com a tecnologia.”

“Preciso citar algumas pessoas. Primeiro, a minha mãe, que é um exemplo de mulher, que sempre me disse que eu podia ser quem eu quisesse ser. Segundo, a professora de física que mudou a minha vida e me mostrou o caminho da engenharia eletrônica. Terceiro, a professora que me deu a possibilidade de fazer iniciação científica, eu entrei nesse mundo de acessibilidade e consequentemente tive a possibilidade de trabalhar em uma multinacional. E o quarto foi o meu gerente que me incentivou a ir para a área de vendas. Ele acreditou em mim e no meu potencial na área comercial, o que de fato acelerou muito a minha trajetória. Por último, o meu marido. Ter um parceiro de verdade é algo que me ajuda muito.”

“Foram dois momentos. O primeiro quando eu fiz a virada para a área comercial, porque isso acelerou muito a minha trajetória e me deu a possibilidade de crescer e impactar mais pessoas. E o segundo foi quando eu assumi a área de estratégia porque eu tive uma visão muito mais ampla e consegui conectar o mundo técnico com o mundo comercial e ao mesmo tempo toda a parte de estratégia e inovação. Foi muito importante e agregou muito para a posição em que eu estou hoje, como líder de vendas.”

“Essa é fácil. Eu quero ser CEO com 40 anos. E hoje eu coloco outras duas coisas: quero continuar impactando pessoas, quero incentivar outras mulheres em STEM, através de treinamentos e sendo uma referência. E quero ajudar na democratização de tecnologia.”

“Mulheres em TI e principalmente jovens entrando no mercado de trabalho. Quero ajudar a pensar fora da caixa, principalmente porque com toda essa virada de tecnologia a gente precisa cada vez mais entender que os trabalhos de hoje talvez não sejam os trabalhos do.”



  • Divulgação/Sympla

    Tereza Santos, CEO da Sympla
    “Empresa cresceu quase 5 vezes sob minha liderança”

    Em 2021, a então diretora de operações aceitou o convite do cofundador e CEO da Sympla Rodrigo Cartacho para assumir seu cargo. Hoje, Santos está à frente de 250 colaboradores e cerca de 30 mil eventos simultâneos à venda na plataforma. 

    Leia a história completa aqui


  • Divulgação/Amazon

    Elis Rodrigues, CFO da Amazon no Brasil

    Elis Rodrigues vem de uma família humilde, estudou em escola pública a vida toda e teve sua vida transformada pela educação. Hoje, a CFO da Amazon é conhecida por sua risada alta. Mas essa abertura toda nem sempre existiu. Como profissional de finanças, quase sempre rodeada de homens, queria passar despercebida.

    Leia a história completa aqui.


  • Divulgação

    Isabel del Priore, CEO da Animale
    “Fui convidada pelo dono para assumir papel que era dele”

    Roberto Jatahy, fundador e CEO do Grupo Soma, chamou a executiva que fez carreira na área de moda e trabalhou com grifes internacionais para fazer parte do grupo de gestores que está levando a empresa a ocupar um espaço entre as maiores do mercado de moda brasileira.

    Leia a história completa aqui.


  • Ângela Assis, presidente da Brasilprev
    “Assumi no meio de uma crise”

    Quando Ângela Assis deixou a cadeira de diretora de marketing da Brasilprev para assumir a presidência da seguradora, em novembro de 2020, ela encontrou, como gosta de dizer, ” a tempestade perfeita” no cenário econômico. O foco foi em manter as pessoas calmas e, em seu primeiro ano de atuação, o lucro líquido pulou de R$ 885 milhões para R$ 970 milhões.

    Leia a história completa aqui.


  • Maurino Borges

    Cíntia Barcelos, CTO do Bradesco

    Ainda criança, quando ia à feira com seu pai, Cíntia Barcelos impressionava os feirantes ao fazer contas de cabeça. Cíntia seguiu o conselho do pai e buscou a independência financeira. Se formou em engenharia eletrônica, com uma única colega mulher em sua classe, e, hoje, é líder de tecnologia do Bradesco, um dos maiores bancos do Brasil. “Nunca tentei parecer homem para me encaixar no meio. Eu sempre fui quem eu sou.”

    Leia a história completa aqui

Divulgação/Sympla

Tereza Santos, CEO da Sympla
“Empresa cresceu quase 5 vezes sob minha liderança”

Em 2021, a então diretora de operações aceitou o convite do cofundador e CEO da Sympla Rodrigo Cartacho para assumir seu cargo. Hoje, Santos está à frente de 250 colaboradores e cerca de 30 mil eventos simultâneos à venda na plataforma. 

Leia a história completa aqui



Fonte: Externa

ofertas amazon promoção
Clique acima para adicionar um desconto excluivo na Amazon! Aproveite as ofertas de hoje.